EDP adquire empreendimento de transmissão no mercado secundário

edp news

EDP adquire empreendimento de transmissão no mercado secundário

terça-feira 28, Maio 2019

A primeira operação do gênero realizada pela Companhia terá investimento total de R$ 407 milhões, reforçando sua presença no Sul do País

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, assinou contrato para adquirir da chinesa CEE Power e da brasileira Brafer, no mercado secundário, a Litoral Sul Transmissora de Energia Ltda, detentora dos direitos de concessão do Lote Q, arrematado pela LSTE na primeira etapa do Leilão 13/2015, em abril de 2016. O investimento estimado é de R$ 407 milhões, considerando o CapEx total atualizado do empreendimento e o valor de aquisição de 100% da Litoral Sul.

O Lote Q é composto por duas subestações e 142 quilomêtros de linhas de transmissão, conectando os estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, percorrendo 12 municípios catarinenses e 10 cidades gaúchas, entre Tubarão (SC) e Torres (RS). Durante sua construção, o empreendimento poderá gerar mais de 500 empregos diretos.

“A EDP está realizando sua  primeira aquisição de um projeto de transmissão no mercado secundário brasileiro. A operação possui bons níveis de rentabilidade, o que atende as premissas da Companhia de geração de valor para os nossos acionistas”, destaca Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.  “Além disso, o lote Q tem grande sinergia com o lote 21, outro empreendimento de transmissão que estamos construindo em Santa Catarina, estado onde também somos os maiores acionistas da Celesc”, afirma Setas.

O Lote Q está dividido em dois trechos, com possibilidade de entrada em operação de cada um em datas distintas e de recebimento de remuneração parcial. O primeiro, no estado de Santa Catarina, já possui a licença de instalação e está em fase de terraplanagem. Ele corresponde a 42% da RAP (receita anual permitida). O segundo trecho, entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, está em fase de licenciamento ambiental junto ao Instituto Brasileiro de Meio-Ambiente (Ibama) e Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luis Roessler (FEPAM) e representa 58%.

Investimentos em Transmissão

Para 2019, a EDP prevê investimentos de R$ 2,9 bilhões, mais do que o dobro dorealizado em 2018. Desse total, R$ 2 bilhões serão destinados a obras de projetos de Transmissão.

No total, até 2022 a EDP investirá R$ 3,5 bilhões no segmento de Transmissão para a construção de 1,4 mil quilômetros de linhas e de seis subestações nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Maranhão. Em dezembro de 2018, a EDP colocou em operação, com 20 meses de antecipação, seu primeiro empreendimento de transmissão, no Estado do Espírito Santo.

Expansão em Santa Catarina

O aquisição da Litoral Sul contribui para a consolidação da presença da EDP em Santa Catarina, onde a Companhia já é a principal responsável pela construção do lote 21, que inclui a instalação de 433 quilômetros de linhas de transmissão entre os municípios catarinenses de Biguaçu e Campos Novos. Em outubro do ano passado, a EDP concluiu uma oferta pública de distribuição de R$ 1,2 bilhão em debêntures simples referentes ao projeto, garantindo a alavancagem de praticamente 100% do ativo.

A EDP também é o principal acionista não controlador da Celesc, com 23,56% de participação no capital da distribuidora catarinense.

O modelo de gestão adotado para a construção das linhas transmissoras da EDP é o mesmo utilizado em suas obras de geração, e que permitiu à Empresa entregar as hidrelétricas de Cachoeira Caldeirão, Santo Antônio do Jari e São Manoel com vários meses de antecipação frente ao prazo regulatório. A seleção rigorosa das regiões onde a EDP vai operar e os cronogramas realistas são fundamentais para o adiantamento da conclusão dos empreendimentos da Companhia no Brasil.

Sobre a EDP Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Geração, Distribuição, Transmissão, Comercialização e Serviços de Energia. Possui seis unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica, e atende cerca de 3,5 milhões de clientes pelas suas Distribuidoras em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, tornou-se a principal acionista da CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 13 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.