EDP patrocina exposição O retrato do rei dom João VI

edp news

EDP patrocina exposição O retrato do rei dom João VI

segunda-feira 03, Dezembro 2018

Este é o primeiro de uma série de eventos culturais que a Companhia vai apoiar até 2022. Mostra, no Museu Histórico Nacional, marca o bicentenário da aclamação do monarca como rei de Portugal, Brasil e Algarves

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, é patrocinadora da exposição O retrato do rei dom João VI, que marca o bicentenário da coroação do monarca à frente do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. Este é o primeiro de uma série de eventos culturais que a Companhia pretende apoiar até 2022, ano em que será celebrado o bicentenário da Independência do Brasil.

A mostra será realizada entre os dias 29 de novembro e 17 de fevereiro de 2019 no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro. O tema da exposição é a construção da imagem de Dom João VI como rei, a partir de um amplo panorama da iconografia de um personagem decisivo na história de Portugal e Brasil na passagem do século XVIII para o XIX.

Para isso, o acervo reúne 24 pinturas, oriundas de instituições brasileiras e portuguesas, coleções particulares e do próprio acervo do MHN. Além dos retratos, completam a exposição condecorações, medalhas, moedas, leques, gravuras e uma réplica da coroa de 1818 – somando cerca de 60 itens.

“Como maior investidora portuguesa no Brasil, para a EDP é uma satisfação apoiar um evento que celebra e reforça os laços históricos entre Brasil e Portugal. Essa exposição marca o início da programação cultural que a EDP pretende promover para a celebração do bicentenário da Independência do Brasil”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

Restauração ao vivo

Será realizada no local da exposição, aos olhos dos visitantes, a restauração de um retrato de Dom João VI de grande proporção (2 metros x 3 metros) pelo técnico do Laboratório de Restauração em pintura do MHN, Luiz Fernando Abreu, com a ajuda de estudantes da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A obra, do quase anônimo pintor brasileiro Antônio Alves, é a cópia de uma tela do pintor italiano Domenico Pellegrini (1759-1840). A curiosidade é que na pintura do italiano vê-se, pela janela, o Terreiro do Paço, em Lisboa. Na versão de Alves, a paisagem vista é a da Baía da Guanabara, com o Pão de Açúcar ao fundo.A intenção é que, após o encerramento do evento, a obra restaurada seja apresentada como o principal legado da mostra.

A iniciativa conta ainda com programação educativa, com oferecimento de transporte e lanche para mil visitas escolares durante o período expositivo. A realização é do Museu Histórico Nacional e Instituto Brasileiro de Museus. Co-patrocinam a exposição o Instituto Itaú Cultural e o Instituto São Fernando, com a colaboração do Ministério da Cultura de Portugal e apoio da Embaixada de Portugal no Brasil, Instituto Camões em Brasília e Associação de Amigos do MHN. A produção é da Artepadilla.

Investimento histórico

A EDP acredita em apoiar a cultura e a arte dos países que falam português e evidenciam a riqueza e a diversidade do idioma, o mais usado no hemisfério sul do planeta. A valorização da língua é uma das bandeiras da Companhia, que garantiu o maior patrocínio à reconstrução do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo: um investimento de R$ 20 milhões até 2019.

Para levar a experiência do Museu a todo o País, a EDP criou ainda a exposição itinerante “A Energia da Língua Portuguesa”. Instalada em um caminhão, a mostra rodou o Brasil, levando cultura e informação sobre a língua a mais de 22 mil visitantes nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia e Ceará. Ainda nessa frente, a Empresa é apoiadora cultural da 25ª Bienal Internacional do Livro em São Paulo e co-patrocinadora da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP).

Ficha Técnica

Exposição: O retrato do rei dom João VI

Coordenação Geral: Museu Histórico Nacional

Curadoria: Paulo Knauss/ Diretor do MHN

Proponente: Associação de Amigos do MHN

Produção Executiva: Artepadilla/ Roberto Padilla

Design expositivo: Cristiane João/ Museógrafa do MHN.

Serviço

Data: 29 de novembro e 17 de fevereiro de 2019

Onde: Museu Histórico Nacional

Visitação: terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriado, 13h às 17h

Ingressos:   R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Entrada gratuita aos domingos. Confira outras gratuidades em mhn.museus.gov.br

Mais informações: (21) 3299 0324 (recepção)

Sobre a EDP Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Serviços de Energia, e possui sete unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,4 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, adquiriu participação na CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 12 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Museu Histórico Nacional

Dedicado à História do Brasil, o Museu Histórico Nacional (MHN) está  localizado no centro histórico da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Foi criado em 1922, como parte das comemorações do Centenário da Independência do Brasil. O museu é uma das unidades do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e possui um vasto acervo constituído por cerca de 350 mil peças, entre manuscritos, iconografia, mobiliário, armaria, esculturas, indumentária etc.