edp news

EDP faz a maior doação para compra de respiradores para UTIs em São Paulo

Terça-feira 24, Março 2020

Companhia destinará 6 milhões de reais à organização social Comunitas, que adquirirá os equipamentos para hospitais públicos do Estado

 

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico, doou R$ 6 milhões à organização social Comunitas para a compra de respiradores hospitalares. Com esta iniciativa, só a EDP será a responsável pela oferta de 25% de todos os respiradores necessários para atender os leitos das UTIs dos hospitais públicos do estado de São Paulo, o mais atingido pela crise do coronavírus, nesta primeira fase de reforço.

 

Os respiradores artificiais são equipamentos essenciais para a sobrevivência e recuperação de pacientes graves da Covid-19. Esses instrumentos serão encaminhados a hospitais públicos indicados pelo governo do Estado de São Paulo, com intuito de auxiliar a gestão pública no controle da pandemia.

 

No total, a campanha da Comunitas arrecadou R$ 23,4 milhões com a ajuda de 150 empresas. O montante doado pela EDP, o maior entre as organizações participantes desta ação, permitiu à entidade atingir sua meta de levantamento de recursos, possibilitando a compra conjunta de 345 respiradores.

 

“A gravidade do momento que vivemos exige da iniciativa privada uma postura de cooperação com os esforços governamentais e sociais no combate ao novo coronavírus. O reforço da capacidade de respiradores nas UTIs de São Paulo é, sem dúvida, uma medida prudente para o enfrentamento desta pandemia numa das maiores áreas metropolitanas da América do Sul”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

 

A iniciativa da multinacional no País se soma aos esforços feitos pela matriz em Portugal. Na semana passada, a EDP anunciou a doação de 50 respiradores, 200 monitores e equipamentos médicos a hospitais portugueses. A ação foi realizada em conjunto com a China Three Gorges (CTG).

 

Confira a lista de hospitais que devem receber os equipamentos em São Paulo:

 

  • Conjunto hospitalar do Mandaqui
  • Hospital Vila Penteado
  • Hospital Geral de Taipa
  • Hospital Regional de Osasco
  • Hospital Regional Sul
  • HospitaI Ipiranga
  • Hospital Geral de Guaianazes
  • Hospital Padre Bento de Guarulhos
  • 10 leitos Hospital Geral de Pedreira
  • 10 leitos Hospital Geral de Guarulhos
  • 10 leitos Hospital de Clínicas Luzia de Pinho Melo
  • 10 leitos Hospital Geral de Carapicuíba
  • 6 leitos Hospital Geral Pirajussara
  • 10 leitos Hospital Geral de Itapecerica
  • 10 leitos Hospital Estadual de Francisco Morato
  • 5 leitos Hospital Estadual de Franco da Rocha
  • 10 leitos Hospital Geral do Itaim Paulista
  • 10 leitos Hospital Geral do Grajaú
  • 5 leitos Hospital Estadual de Sapopemba
  • Hospitais estaduais geridos por Organizações Sociais de Saúde – priorização da Grande São Paulo em virtude do número de casos

 

A EDP possui um Comitê de Gestão de Crise para o coronavírus e desenhou um plano de contingência, antes mesmo da confirmação do primeiro caso no País. Desde fevereiro, o comitê tem se reunido remotamente todos os dias, inclusive aos fins de semana, se necessário. Dentre as iniciativas já realizadas pela companhia estão: antecipação da vacinação contra a gripe H1N1 para colaboradores, implantação de regime de trabalho de home office nos escritórios, escalonamento e descentralização das equipes de campo e reforço com campanhas internas de informação.

 

Sobre a EDP no Brasil

 

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Serviços de Energia, e possui seis unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,5 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo, além de ser a principal acionista da Celesc, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 14 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.